Sem categoria category


Uma Campanha diferente

junho 25, 2018 | Posted by juliana | No Comments »

Doações devidamente separadas para a entrega.

Há mais de dez anos, roupas e acessórios são periodicamente recolhidos na Cardio Nefroclínica (CNC) para aquecer o inverno de quem precisa. A Campanha do Agasalho de 2018 trouxe uma novidade. Os beneficiários, todos pacientes do serviço de diálise, mais do que receberem as doações, puderam detalhar as suas necessidades e de seus familiares. Ao todo, 7 famílias receberam os 71,650 kg de agasalhos, entregues nos dias 7 e 8 de junho.

De acordo com a assistente social da CNC, Isabel Terres, o processo da Campanha deste ano foi originado para evitar o equívoco recorrente em projetos beneficentes, em que os doadores apontam os beneficiários. Buscou-se o caminho inverso a partir de uma triagem prévia, realizada com os pacientes da CNC que manifestaram vontade de integrar a campanha. Identificadas as pessoas, a assistente social mapeou a realidade sócio-econômica dos participantes, com o objetivo de direcionar as quantidade e a qualidade das doações, de acordo com os tamanhos de roupas e calçados necessários.

Ao longo dos quatro dias de entrevistas, os participantes também foram convidados a avaliar a Campanha do Agasalho. O resultado foi unanime com relação à vontade de que continuem ocorrendo coletas de donativos, inclusive de alimentos. “Essa é uma Campanha que ocorre em diversas instituições da cidade, neste período do ano, então buscamos beneficiar internamente as pessoas necessitadas. Isso ainda aproxima os colaboradores dos pacientes e promove a solidariedade entre quem convive”, avalia Terres.

Campanhas Assistenciais  

Realizadas para suprir carências da comunidade, as campanhas assistenciais integram as práticas da CNC há 16 anos. Atualmente, a coleta e entrega de donativos ocorre em dois momentos do ano, nos meses de inverno e no período que antecede o Natal. De acordo com a diretora Geral da CNC, Juliana Freitas, as campanhas de doação sempre conseguiram suprir a demanda dos pacientes e já chegaram a ser estendidas a pacientes do Hospital Santa Casa. “Ajudar nossos pacientes carentes é uma ação pontual que fazemos dentro do nosso foco atual de atuação socialmente responsável que inclui ainda projetos de médio e longo prazo, como a elaboração e fortalecimento da rede de diagnóstico e tratamento do paciente com doença renal no âmbito do SUS”, resume a gestora.

Revisão em dia!

maio 9, 2018 | Posted by juliana | No Comments »

Confira o relatório de 2017 na íntegra, clicando na imagem.

 

O Relatório de Atividades de 2017 da CNC, divulgado nessa semana, reforça as dificuldades existentes na área da saúde em todo o País.

Com pagamentos do SUS que cobrem apenas 69% do custo da sessão de hemodiálise, o ano de 2017 terminou no vermelho para o serviço de diálise local que atende 80% dos seus pacientes via SUS.

Conforme os gestores, o planejamento financeiro para 2018, inclui o enxugamento de custos em todas as áreas possíveis.

Frente aos desafios, esforços administrativos e técnicos estão sendo direcionados para garantir a continuidade dos trabalhos realizados pela única clínica da cidade especializada em serviços de nefrologia.

Clique na imagem ao lado para acessar o relatório completo.

Pesquisa de Satisfação

janeiro 8, 2018 | Posted by juliana | No Comments »

Murais atualizados com os dados das pesquisas.

Já estão divulgados, no mural da CNC, os resultados das Pesquisas de Satisfação realizadas com os colaboradores e pacientes da Clínica. Aplicadas anualmente, há mais de 10 anos, as ferramentas têm o propósito de verificar como as pessoas estão se sentindo no trabalho e, no caso dos pacientes, como avaliam o serviço que utilizam. Ambas as pesquisas representam uma oportunidade de escuta para saber o que precisa ser mantido e também alterado. As respostas descritivas são lidas pelos diretores do serviço que avaliam as demandas e, juntamente, com as equipes elaboram ações de melhoria para o ano inteiro.

Singularidades do processo

Pacientes – Na fase final de análise dos dados, a pesquisa com os pacientes inclui um retorno pessoal, àqueles que se identificam, como forma de reconhecimento pela participação no crescimento do trabalho. Além disso, são avaliados: a satisfação com o tratamento, os profissionais que os atendem, a área física e o lanche oferecido durante a diálise.

Colaboradores – Com relação às perguntas destinadas a medir o bem-estar do colaborador, o resultados quantitativos passam por um sistema de tabulação e são comparados com anos anteriores em tópicos que vão, desde a satisfação com o líder da equipe, até a qualidade do almoço oferecido. As perguntas também trazem um campo aberto a comentários.

CNC 37 anos

novembro 22, 2017 | Posted by juliana | No Comments »

Saiba mais sobre nossa história através de depoimentos de quem vive o dia a dia do serviço de diálise da Fronteira.

 

Estamos contratando!

julho 28, 2015 | Posted by juliana | 1 Comment »

Não fique de fora do nosso processo seletivo!

HISTÓRIA

setembro 13, 2013 | Posted by juliana | No Comments »

Linha do Tempo

1978 – 1980 – O Começo
Sob orientação do Dr. Domingos D’Ávila, Nefrologista do Instituto de Cardiologia de Porto Alegre, foi instalada em 1977 a primeira máquina de Rim Artificial do Hospital de Sant`Ana do Livramento, doada pela família Severo.Em janeiro de 1978 o Dr. João José de Freitas chegou a Sant’ Ana do Livramento para iniciar, na Santa Casa de Misericórdia, o trabalho de hemodiálise que resultou na criação da Cardio Nefroclínica. Nesta época exerciam a direção médica da Santa Casa os Doutores Ângelo Aguiar e Getúlio Neves.

 

1980 – 1983 – Cardio Nefroclínica: prevenção e reabilitação.
Devido à necessidade de atendimento ambulatorial de prevenção e reabilitação da cardiopatia isquêmica, nasceu, em novembro de 1980 na Rua Conde de Porto Alegre, a Cardio Nefroclínica. A parceria entre o Dr. Freitas e o professor de educação física Rubens Callero e após Antônio Arci, somava os benefícios do exercício físico controlado com a orientação nutricional e médica. Também integrava a equipe a nutricionista Patrícia Alvin. Em 1982, chega à Cardio Nefroclínica o Dr. Fernando Guadalupe trazendo avanços na área cardiológica. Com ele, implantou-se um serviço de urgência com associação coletiva, a UCM (Unidade Coronariana Móvel), o primeiro com essas características no Brasil.

1987 – 1995 – Hemodiálise na CNC.
Devido a uma das periódicas crises no Sistema de Saúde brasileiro, a Santa Casa obrigou-se a fechar seu serviço de hemodiálise e encaminhar os pacientes para tratamento em Porto Alegre. Sete anos depois de sua inauguração, a Cardio Nefroclínica, motivada pela necessidade de trazer de volta aqueles que haviam sido transferidos, passa a oferecer um novo e moderno Centro de Diálise.
Em 1991 a Dra. Lilian Dias de Ávila, nefrologista com sólida formação, assumiu a responsabilidade técnica da hemodiálise, ajudando a estabelecer condutas e rotinas que acrescentaram ainda mais ao grupo.
No ano de 1994, para qualificar-se, Dr. Freitas partiu para realizar sua pós-graduação no Churchill Hospital, da Universidade de Oxford. Em sua volta, 12 meses depois, trouxe novas ideias e projetos que prepararam a instituição para o futuro.

2000 – Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP).
Com a virada do século, a empresa, a partir da capacitação dos membros da Alta Direção, passou a investir em um novo processo de gestão administrativa (ver página central).
Os critérios adotados pelo PGQP, como estratégia para alcançar novos resultados e o reconhecimento de sua importância local e regional tornaram-se ferramentas básicas para implantação das modificações necessárias.

2004 – 2009 – Nova Sede e Premiações.
Em 11 de dezembro de 2006 realizou-se a mudança, concretizando um sonho antigo de trazer de volta à Santa Casa de Misericórdia, o serviço de Terapia Renal Substitutiva.
O trabalho desenvolvido nesta trajetória, que envolvia inclusive ações na comunidade, começou a ser reconhecido. Ainda em 2005 a organização buscou o reconhecimento da qualidade em suas práticas de gestão e, desde então, conquistou diversos reconhecimentos e premiações.

2009 – 2013 – Parcerias e Reconhecimentos.
Em 2009, a CNC ganhou um parceiro de peso. A ONG Alô Rim Livramento, que assumiu de maneira efetiva a tarefa de divulgar ações de prevenção e diagnóstico da doença renal crônica e suas complicações.
Neste período, configurando as características familiares da empresa, assume a Coordenação da Qualidade e Comunicação da CNC, a jornalista e relações públicas Juliana Freitas. Foi ela a responsável por liderar a equipe da CNC rumo a uma nova forma de gestão baseada nos pré-requisitos exigidos pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) para a conquista da excelência.
Em abril de 2013, a CNC alcança metas históricas, descritas na visão de futuro da empresa: a conquista do reconhecimento pela ONA e tornar-se um serviço de referência em saúde. Os novos tempos ainda prometem mais inovações, entre elas o compromisso de viabilizar o transplante renal na região.

 

 

DIVISÃO INTERNA EM EAPS

agosto 17, 2013 | Posted by juliana | No Comments »

Mapa da Engrenagem

Saiba como se faz a divisão do trabalho em equipes.

O trabalho em equipe é um dos principais diferenciais da CNC. Ele forma uma verdadeira engrenagem, na qual cada colaborador tem uma função que está interligada com o funcionamento geral das demais equipes e por consequência do serviço como um todo. Quem explica como cada uma dessas peças funciona é a enfermeira e líder da Equipe de Assistência, Fabiana Boldrini. “Toda a nossa força de trabalho está inserida em um desses nove grupos, o que faz com que todos tenham noção da gestão que é feita dentro da Clínica e da sua importância para o funcionamento geral”. Confira abaixo, o organograma:

 

 

Equipe de Recursos Humanos:  Trabalha com tudo o que se relaciona aos colaboradores, como demissão, admissão, avaliação de desempenho e troca de setores, além do Programa de Educação Continuada que estimula a qualificação dos colaboradores.   

Equipe de Gestão da Qualidade: Gerencia os programas de Qualidade da CNC, incluindo as adequações realizadas para a conquista da ONA.

Equipe de Suprimentos: Abastece os diversos setores com os itens necessários para a realização da hemodiálise ou materiais de escritório, indispensáveis para a rotina de trabalho. É considerado  essencial para a equipe de assistência. Outras tarefas de responsabilidade desse grupo é a compra de materiais e o relacionamento com os fornecedores.

Equipe de Gestão Econômica e Financeira: Administra todo planejamento orçamentário, além de verificar se os recursos financeiros estão entrando e saindo corretamente da CNC. São responsáveis pela elaboração do Demonstrativo de Resultado Gerencial, ferramenta que permite mensalmente a tomada de decisões seguras por parte da administração.

Equipe de Manutenção: Controla e garante o bom funcionamento de materiais e equipamentos, incluindo desde a manutenção de um aparelho de ar condicionado até as máquinas utilizadas para a realização da hemodiálise. São cuidados preventivos e corretivos que refletem no conforto dos pacientes.

Equipe de Relacionamento: Coordena as atividades de inserção social, como campanhas assistenciais e também cuida das comemorações de datas especiais. Os aniversários dos pacientes e dos colaboradores são sempre lembrados por meio de cartões e brindes.

Equipe de Assistência: Envolve todo o tratamento da diálise e engloba a equipe multidisciplinar de profissionais, composta por psicóloga, assistente social, nutricionista, técnicos de enfermagem, médicos, enfermeiros, entre outros. Trata de analisar os pacientes de forma global, incluindo o seu estado biológico, psicológico e social.

Equipe de Gestão de Negócios: Trabalha com os itens formadores da cultura da empresa: missão, visão, filosofia e política de trabalho. São responsáveis pela aplicação e controle do Planejamento Estratégico anual. 

Equipe de Biossegurança: Auxilia nos cinco processos principais de segurança e suporte para a realização correta da hemodiálise. Abrange: segurança do trabalho, tratamento de água, gerenciamento de resíduos hospitalares, esterilização e higienização.

 

Trabalho em Equipe

agosto 14, 2013 | Posted by juliana | No Comments »

Nosso trabalho tem reflexo direto na qualidade de vida dos usuários do serviço.

Para assegurar a valorização das pessoas frente aos controles estabelecidos, a cultura organizacional da CNC se mantém bem definida. Assim como na sociedade, os cidadãos estabelecem um conjunto de regras e normas de conduta que acabam por definir a forma como se relacionam entre si e com o meio, na CNC ocorre o mesmo. Conforme Carmem Araújo, secretária do serviço há 32 anos, essa forma de atuação é construída por cada colaborador. “Eu nunca sei se foi a Clínica que influenciou na minha maneira de ser, ou se fui eu que coloquei um pouco da minha forma de ser na formação cultural da Clínica. É um crescimento conjunto”, conta.

Até mesmo a definição dos objetivos anuais é feita de forma coletiva no Seminário Anual de Revisão e Elaboração das Estratégias (SAREE). Durante um dia inteiro, os 40 colaboradores estabelecem metas e se comprometem em conquistá-las de acordo com as suas potencialidades e das equipe que integram. “Nos dividimos em nove equipes que estão em constante comunicação por meio de reuniões semanais”, explica a secretária da Qualidade Daniela Morel.

Para avaliar o trabalho da CNC como um todo, duas vezes por ano, pesquisas de satisfação são aplicadas aos usuários do serviço, sob os objetivos de adequar as práticas às necessidades deles. “Os pacientes demonstram ter confiança em nós e a tranquilidade deles é fundamental para o resultado do tratamento”, avalia a técnica de Enfermagem Claudia Echevest. Para auxiliar ainda mais na qualidade de vida de quem dialisa, foi implantado o projeto Visitas em Sala que a cada mês leva um profissional de áreas diferentes da saúde para palestrar durante as sessões de hemodiálise.

Conforme a coordenadora da Qualidade, Juliana Freitas, pensar o bem-estar dos pacientes, foco principal do trabalho da empresa, passa também por compreender o perfil dos colaboradores e tentar atender as necessidades deles. Esse esforço resulta em carreiras longas que já completam 30, 18 e 15 anos de trabalho na CNC. Além disso, existem casos de adequação da atividade profissional dentro da própria empresa, como Cláudia da Silva. “Eu entrei aqui há sete anos na higienização e depois que eu fiz curso de técnica de Enfermagem, tive a oportunidade de mudar de setor. Hoje trabalho com os pacientes”, comemora a técnica.

Afinada com as necessidades afetivas dos colaboradores e usuários do sistema de hemodiálise, a equipe de relacionamento cuida para que os aniversários e as datas comemorativas não passem em branco. Conforme conta a recepcionista e líder da equipe de relacionamentos, Simone Clavel, sempre tem um brinde ou cartão para valorizar dias especiais. Além disso, as reuniões sistemáticas entre as equipes cuidam para que a comunicação entre todos os setores flua de forma natural. Os colaboradores ainda contam com murais informativos, aulas de yoga e convênios de saúde  e no comércio.

Para o sócio-proprietário da empresa W.M, Rafael Escotto, a afinação da equipe fica evidente no ambiente tranquilo que conseguem criar na Clínica. ”Realizamos a manutenção de máquinas de hemodiálise em quase toda a região sul e é nítido o tratamento diferenciado que a CNC oferece aos seus pacientes.”, avalia Escotto.

Opinião

Confira a opinião de quem utiliza o serviço:

“Aqui está o meu rim [aponta para a máquina de hemodiálise], a minha segurança. Eu agradeço por essas pessoas maravilhosas poderem cuidar da gente”. Sandra Pino – Em hemodiálise há um ano.

“Eu me sinto segura. Quando eu comecei a dialisar até queriam que eu fizesse em Porto Alegre, mas eu preferi vim fazer o tratamento com o Dr. Freitas. Faz quase 40 anos que ele me trata.” Terezinha da Silva – Em hemodiálise há sete anos.

“O médico aqui é como um anjo e o atendimento é excepcional. Eu não mudaria nada.” Florêncio Rodrigues – Em hemodiálise há um ano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Eu acho a clínica super boa. O quadro de enfermagem e o Dr. Eula são maravilhosos. Eu venho de Quaraí bem tranquila, nem me lembro de que tenho que fazer hemodiálise, recebo até um lanchinho durante a sessão”.
Maria Corrêa – Em hemodiálise há três anos – Mora em Quaraí.

“Para mim está tudo ótimo aqui, as gurias, o médico e o tratamento. As visitas que os diversos profissionais fazem nas salas auxiliam muito as pessoas que não entendem direito porque estão aqui a compreenderem melhor a seu estado de saúde. Assim elas podem melhorar o próprio tratamento”.
Irma Espíndola – Em hemodiálise há 13 anos.

Entre as melhores do País

agosto 8, 2013 | Posted by juliana | No Comments »

Reconhecimento tem validade de dois anos. Durante este período, a CNC receberá os auditores da ONA para avaliações de manutenção da acreditação.

Ao conquistar o reconhecimento da Organização Nacional de Acreditação (ONA), a Cardio Nefroclínica (CNC) se consolida entre as 16 melhores clínicas de hemodiálise do país, frente a um total de 630 Instituições distribuídas em todo o território nacional. No Rio Grande do Sul, atualmente, é a única a ter esta classificação. Para chegar a essa conquista, é preciso funcionar como uma orquestra, na qual cada equipe é responsável por tocar uma parte da música e que sem isso não há concerto.

Seis requisitos básicos foram analisados nas práticas da CNC pelo auditores da ONA: liderança, atenção ao paciente, diagnóstico, abastecimento e apoio logístico, apoio técnico e infra-estrutura. Conforme as diretrizes informadas pelos representantes da Organização, a acreditação é um processo que visa melhoria de qualidade e garante maior segurança para a população. Ela é responsável por certificar os serviços assistenciais pela sua capacidade de prestarem um atendimento de maior qualidade, mais eficiente e com possibilidades de resultados cada vez melhores.

“Trabalhamos duro, durante mais de trinta anos, para consolidar em Sant`Ana do Livramento um serviço que realiza, em média, 1200 sessões de hemodiálise por mês nos pacientes com doença renal”, comemora o diretor Geral da CNC Dr. Freitas, lembrando que os usuários do serviço se beneficiam de um tratamento que funciona como uma espécie de rim artificial e é capaz de manter o organismo em perfeito funcionamento.

Embora a CNC já venha há mais de dez anos implementando práticas de qualidade exigidas por empresas que buscam a excelência, para alcançar a ONA, os resultados passaram a ser medidos com ainda mais rigor. “Foram necessários cinco anos, desde os primeiros pré-requisitos que recebemos até o preenchimento de todas as exigências do órgão acreditador”, explica a coordenadora da Qualidade da CNC, Juliana Freitas.

Durante o processo de análise, realizado em dois dias no final do mês de abril, cada setor da CNC passou por uma detalhada investigação. Nesse momento, o trabalho em equipe demonstrou ainda mais a sua força. Cada uma delas precisou apresentar seus indicadores e ações. Os procedimentos realizados pelos 40 colaboradores foram voluntariamente submetidos à avaliação e o resultado foi uma meta coletivamente alcançada.

A ONA 

Certificado encaminhado pela Organização Nacional de Acreditação

O caminho rumo ao objetivo começou a ser traçado quando a direção da CNC percebeu a necessidade de ser avaliada na área da saúde, especificamente, pelo tratamento de hemodiálise. Foi então que buscou a ONA, uma organização fundada em 1999, impulsionada pelo Ministério da Saúde, que identificou a necessidade de criação de um sistema brasileiro de acreditação em saúde.

O grupo de Instituições que deu origem a Entidade e ainda a matém, é formado pelo Conselho Nacional de Saúde, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, Federação Brasileira de Hospitais, entre outros. Estabelecidas as diretrizes principais, foram criadas as instituições responsáveis por concederem as acreditações em cada estado.

No Sul a padronização dos serviços é realizada pelo Instituto de Administração Hospitalar e Ciências da Saúde, localizado em Porto Alegre. Os seus representantes são responsáveis por enviar os relatórios que serão homologados na sede da ONA em Brasília.

Parcerias

Conheça a opinião de quem conhece o trabalho da CNC:

 

“O serviço de hemodiálise é considerado de alta complexidade, e nenhuma instituição recebe uma acreditação como a da ONA se não apresentar um trabalho de excelência. Considero esse reconhecimento, um estímulo para outras instituições que trabalham pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para que também se qualifiquem para oferecer o serviço de relevância pública”.

(Natalia Ivone Steinbrenner, Secretária de Saúde de Sant`Ana do Livramento).

“O fato do serviço de diálise ser uma referência orgulha todos os santanenses e serve de modelo e inspiração para outras empresas da região e do País. A acreditação da ONA é resultado de um trabalho intenso e  permanente, além de demostrar uma equipe comprometida, responsável e que, acima de tudo, traz segurança para os usuários”.

(Adriana Simões Pires Martins, bioquímica e sócia-proprietária do laboratório da análises clínicas Dr.Pio)

“A CNC contribui grandemente com a disseminação das ferramentas da qualidade disponibilizadas pelo Comitê Regional de Livramento, por ser uma parceira e mantenedora do comitê desde a sua formação na cidade. Disponibiliza visitas técnicas, abrindo suas portas a outras empresas transmitindo seu conhecimento e melhoria. Sabemos do compromisso da CNC com a excelência na qualidade e o respeito que ela tem com a comunidade, demonstrados através dos seus resultados”.

(Jane Silveira, presidente do Comitê Regional de Qualidade de Santana do Livramento)

CNC Notícias

junho 25, 2013 | Posted by juliana | No Comments »

Jornal da Cardio Nefroclínica que saiu encartado neste sábado, no jornal A Platéia de Livramento.

Para quem perdeu, aí vai:

Clique na imagem e boa leitura!