Tratamento Completo

janeiro 21, 2015 | Posted by juliana | No Comments »

Cardio Nefroclínica garante a qualidade da água, um dos principais componentes da Hemodiálise

O tratamento de água da CNC ocupa quase um andar inteiro do prédio onde o serviço está instalado.

O sistema de tratamento da água proveniente do aquífero guarani, realizado na Cardio Nefroclínica (CNC) garante aos usuários da diálise uma água em condições ideais. O que faz desse recurso natural algo tão importante para os pacientes é o volume utilizado. A cada sessão cerca de 200 litros são destinados por pessoa.

Antes de chegar até o corpo humano, um complexo ciclo (ver ilustração abaixo) é realizado em uma sala especialmente destinada para armazenar o equipamento de purificação do líquido que vai auxiliar na filtragem das impurezas presentes no organismo. Nos próximos meses, músicas clássicas serão colocadas no local que abriga os tanques de água. Original, a ideia surgiu de um dos colaboradores da empresa, que motivado por um vídeo apresentado à equipe, pesquisou sobre a influência da música nas moléculas. “Conforme a teoria do japonês, Masaru Emoto, a água funciona como um transmissor de mensagens tanto positivas quanto negativas e, como o corpo é formado por 70% de água, ela pode contribuir para melhorar a saúde das pessoas”, conta o diretor administrativo Anderson Alves.

     Para ter certeza de que todos os processos pelos quais o líquido passa estão rigorosamente corretos, os índices bioquímicos apresentados devem atender aos parâmetros estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O funcionamento do equipamento é controlado diariamente por meio de por colaboradores da CNC e, além disso mensalmente uma amostra é enviada a um laboratório habilitado e especializado nesse tipo de análise. Os resultados são revisados pela Anvisa semestralmente. Esse órgão certifica-se se o sistema apresentou alguma falha e a forma como o problema foi resolvido. De acordo com o diretor Técnico da CNC, Dr. Freitas, o principal objetivo desse complexo mecanismo é garantir o mínimo de risco aos pacientes e promover a segurança descrita na missão da clínica.

Divisor de águas

     Quando a Cardio Nefroclínica foi fundada, no ano 1980, o sistema utilizado não apresentava as características atuais. Importantes equipamentos passaram a ser exigidos pela Anvisa em função da chamada “Tragédia da Hemodiálise”. O fato que marcou a história do tratamento, ocorreu em 1996, quando um surto de intoxicação atingiu pacientes renais crônicos em uma clínica de hemodiálise localizada no município de Caruaru, no estado de Pernambucano.

     “A partir daí, o mundo inteiro passou perceber a necessidade de utilizar outro tratamento para água”, lembra Dr. Freitas.  Os equipamentos de osmose reversa e o deionizador então foram incluídos nas exigências da Anvisa. Eles garantem a retirada de bactérias e de substâncias produzidas por algas, encontradas em rios, represas e lagos que, a exemplo da microsistina, causam alterações hepáticas a longo prazo.

Acompanhe o ciclo percorrido pela água antes de chegar ao organismo dos pacientes

1) Poço de água

2) Bomba cloradora – injeta cloro na água e serve para eliminar qualquer tipo de microorganismos que possa contaminar o líquido.

3) Coluna de carvão ativado - funciona como um filtro que inibe o cloro e retira orgânicos em suspensão, como barro, areia ou outros materiais sólidos.  O carvão é vegetal, que compõe o filtro é feito a partir de casca de coco e deve ser substituído a cada doze meses.

4) Bomba de resina aniônica e catiônica: é uma coluna com microesferas responsáveis por eliminar nitratos e cálcio. Realiza automaticamente uma retrolavagem com salmoura com o objetivo de lavar a parte interna do sistema.

# Todos os processos anteriores servem para proteger a osmose reversa que pode ser considerado o coração do tratamento de água para a diálise em função de sua capacidade de eliminar microorganismos provenientes de algas.

5) Osmose Reversa – contém membranas que agem como filtros responsáveis por baixar a condutividade da água, ou seja, a capacidade de transportar componentes. A água torna-se cada vez mais pura e mantém a segurança necessária.

# A partir dessa etapa, a água parte para dois caminhos:

A caminho da diálise

6) Permeado: é o líquido que passa pelo centro do filtro e está pronto para ser usado na diálise. Representa em torno de 50% de todo o volume tratado.

7) Tanque de água tratada: hermeticamente fechado com capacidade de  armazenar até mil litros. É constantemente abastecido a partir de um sistema de bóias que garante a disponibilidade dos 6 mil litros de água utilizada nos tratamentos realizados, diariamente, na CNC.

8) Lâmpada ultravioleta – serve para esterilizar a água e não traz nenhum tipo de inconveniente para o organismo humano.

ou

9) Ozonisador – outro método de esterilizar que funciona quando o ultravioleta não está em funcionamento e é um gás injetado na água. É ativado apenas em um dia na semana.

Abastecimento do prédio

Rejeito ou concentrado: representa cerca da metade do volume da água que foi tratada e ficou no filtro da osmose reversa. É um água com maior concentração salina e de outras substâncias que não são aceitáveis em um tratamento de dialise. No entanto, essa água é própria para consumo humano e parte dela vai para uma caixa d’água e é reutilizada para abastecer a CNC em usos como higienização, banheiros e copa.

# Os sistemas estão em constante funcionamento para que a água nunca fique parada e portanto não seja contaminada.

(*) O gráfico acima foi produzido com base nas informações fornecidas pela equipe técnica da empresa WM Escotto Scaraffuni, responsáveis pela manutenção do tratamento da água na CNC e em diversas clínicas da região.

 

 

 

Category: cycle, Notícias

Deixe um comentário